O propósito da Mudatuga

17, Mai. 2022

A Mudatuga é uma startup de educação ambiental que pretende ajudar a resolver o problema da falta de valorização de resíduos orgânicos em Portugal. A nossa missão é transformar pessoas comuns em “ninjas da compostagem” e, dessa forma, envolvê-las na construção coletiva da solução para este problema.

Neste momento somos uma organização financeiramente sustentável, cujas fontes de receita provêm da formação e revenda de compostores, estando neste momento a trabalhar numa solução inovadora para o problema mencionado.


Com o apoio e confinanciamento do Startup Voucher, o projeto arrancou em meados de 2020, contando com a contribuição inicial de 4 co-fundadores: Carolina, Giulia, Zé Pedro e Luana. Contámos com o apoio da Incubadora do Instituto Pedro Nunes em Coimbra para dar os nossos primeiros passos em direção a criar um mundo sem resíduos. Durante os primeiros meses da Mudatuga, os 4 dedicaram grande parte do seu tempo a difundir o conceito através da criação de conteúdos nas redes sociais e da realização de workshops e projetos de compostagem. Depois de quase 1 ano de muito trabalho e de compreensão profunda do que as pessoas precisavam para começarem a compostar, a Mudatuga lançou a Escola a Compostar em parceria com a Zero Waste Lab e as Hortas Lx, um projeto de sensibilização para a compostagem e hortas urbanas, financiado pelo fundo ambiental, que contou com mais de 1000 inscritos na 1ª edição, entre agosto e outubro de 2021!


Naturalmente começou a crescer, ao longo do tempo, uma comunidade que conta agora com algumas milhares de pessoas que se entreajudam e contribuem para a disseminação da mensagem, funcionando quase como embaixadores da Mudatuga, em certos casos.


Não foi em vão que definimos a “construção de uma comunidade” como um dos valores da empresa. Conhecemos as suas inúmeras vantagens e a importância que esta tem e terá ainda mais, no futuro, não só no que diz respeito à partilha de conhecimento e experiências, mas também na ligação entre as pessoas para oferta/recolha de resíduos/adubo.
Adicionalmente, a Mudatuga estabeleceu os valores da consciência ambiental, compromisso com o futuro, impacto regenerativo e ética e integridade, que norteiam o nosso trabalho e nos ajudam a manter os nossos projetos focados no impacto que queremos deixar para o mundo.


Mas então de que forma é que a Mudatuga pode ajudar a resolver o problema central da falta de valorização orgânica dos resíduos? São produzidos anualmente mais de 5 milhões de toneladas de resíduos urbanos, sendo que aproximadamente 40% são resíduos orgânicos. Uma percentagem verdadeiramente absurda ainda vai para aterro, sendo que menos de 2% do total de resíduos urbanos tem como destino direto a valorização orgânica. É precisamente neste último ponto que a Mudatuga pretende intervir.
Acreditando que o tratamento dos resíduos orgânicos na fonte geradora é a forma mais sustentável de resolver este problema, a Mudatuga tem como principal foco de atuação a sensibilização e capacitação dos cidadãos para a compostagem doméstica. Ainda que realize ações educativas relacionadas com compostagem comunitária, vermicompostagem, compostagem termofílica e Takakura, a empresa tem vindo a apostar mais fortemente no ensino e disseminação de um método de compostagem chamado Bokashi. Fá-lo por acreditar que é a solução mais adequada para a maioria da população que vive em zonas urbanas e que não tem espaço para realizar outros tipos de compostagem mais volumosos e/ou trabalhosos.


De forma a chegar a um maior número de pessoas, a Mudatuga, para além do modelo de negócio B2C, procura também colaborar com variadas entidades (municípios, empresas, escolas, associações e outras organizações) em campanhas de sensibilização, workshops, palestras, consultoria para implementação de projetos de compostagem e outras ações relacionadas, podendo, quando necessário, comercializar compostores através da loja online ou de parcerias diretas com fornecedores, no caso das encomendas de maiores quantidades.


A Mudatuga é um social business que segue os princípios do Prof. Muhammad Yunus, laureado com o Nobel da Paz em 2006 e fundador do Grameen Bank, o banco que nasceu com o intuito de aliviar a pobreza através da concessão de microcréditos a pessoas com poucas possibilidades. Em 2021, a Mudatuga participou no programa Nurturing Social Business da Yunus & Youth, que teve como principal objetivo a partilha de conhecimento e ferramentas relevantes para o desenvolvimento de um social business.De entre os 7 princípios definidos pelo Dr. Yunus, estão o objetivo de redução de um problema social e/ou ambiental, as melhores condições de trabalho para os colaboradores, o desenvolvimento de uma solução financeira e economicamente sustentável e a não-partilha de lucro entre acionistas, sendo este integralmente dedicado a maximizar o impacto socioambiental do empreendimento.


A Mudatuga usa o “negócio” como forma de cumprir a sua missão, mas o seu sucesso não será medido com base na faturação ou lucro, mas sim no impacto positivo que conseguiu ter durante a sua existência. É certo que precisamos de ser financeiramente sustentáveis para podermos oferecer boas condições de trabalho e melhorar continuamente o nosso “produto” para que o nosso impacto social e ambiental seja cada vez maior, mas não vemos a maximização do lucro como um objetivo final em si (em vez disso, acreditamos que ele virá por acréscimo se nos focarmos em perseguir a nossa visão). Uma das principais ambições da empresa é conseguir manter um impacto regenerativo ao longo de toda a sua cadeia de valor. Acreditamos que é possível conceber produtos/serviços que ajudam a capturar carbono, regenerar os solos e a biodiversidade e a melhorar a qualidade do ar e da água. O objetivo anteriormente visto como “aceitável” de impacto ambiental “net-zero” está a ser rapidamente ultrapassado. Já não é apenas uma questão de mitigarmos os nossos impactos negativos no ambiente, pois já destruímos demasiado o nosso planeta no passado. É agora urgente compensar os “estragos”, tendo o maior impacto positivo e regenerativo possível, não só evitando consumir recursos naturais e gerar resíduos, mas revertendo esse modelo, criando uma cadeia de valor que consuma os resíduos existentes e crie recursos naturais.


Em virtude desta ambição de darmos um “passo extra” no tema da sustentabilidade, decidimos começar a desenvolver o “Compostuga”, que já mereceu um prémio na categoria “Urban Solutions” na etapa europeia do Climate Launchpad 2021, ficando no top 3 da classificação geral da Europa, depois de ter sido selecionado na fase nacional. O Compostuga é um compostor doméstico do tipo Bokashi (fermentação anaeróbia de resíduos) que permite qualquer pessoa fazer compostagem, mesmo que viva num apartamento.


Acreditamos que este produto é uma solução necessária e inovadora porque foi pensado para ser mais do que apenas um balde de compostagem: o material, o design e a cadeia de valor fazem com que cada passo da sua produção seja pensado com propósito. O Compostuga é feito com um inovador biocompósito de cortiça e polímero reciclado pós-consumo e o farelo de fermentação é feito a partir de resíduos de bolota, em ambos casos recorrendo a fornecedores locais. Faz parte da nossa estratégia de regeneração o plantio e gestão de sobreiros a longo prazo, bem como garantir que os utilizadores do Compostuga têm a formação que necessitam para completar o ciclo devidamente, incluindo a correta transformação dos resíduos num composto que será de enorme utilidade para a recuperação de solos degradados, para a redução da importação de fertilizantes inorgânicos e abrindo portas para a redução de custos na agricultura familiar. Essa formação pode ser facultada através de workshops, mas também a partir da aplicação “CompostugAPP”, que terá vídeos educacionais e será um habit tracker de compostagem. Iremos também trabalhar no sentido de garantir o constante crescimento da nossa comunidade online, que vai ser um fator-chave no momento de facultar alternativas aos cidadãos para o destino do seu adubo, como referido anteriormente.


Neste momento, estamos em fase de prototipagem do compostor, para a qual contamos com o precioso know-how e mentoria do programa de aceleração intensivo de 4 meses da Watson Institute, que resultou da atribuição de uma bolsa no pilar de sustentabilidade à co-fundadora da Mudatuga, Carolina Bianchi. Assim que terminarmos esta etapa, iremos recorrer a fontes de financiamento que vão ao encontro dos nossos valores e requisitos enquanto social business. O passo seguinte será adquirir o molde industrial para dar início à fabricação dos primeiros kits de compostores, que iremos comercializar tanto através da nossa própria loja online (atualmente utilizada para fazer revenda de compostores e farelo Bokashi), como através de parceiros estratégicos (alguns deles já definidos).


Consideramos que esta solução é capaz de resolver o problema central de 2 formas:

  1. âmbito doméstico: permitindo que os beneficiários façam compostagem na fonte geradora e “fechem o ciclo” em casa, caso desejarem;
  2. âmbito municipal (recolha seletiva dos biorresíduos): pré-tratamento dos resíduos orgânicos no compostor Bokashi reduz, em média, 25% do seu volume na fonte geradora, diminuindo consequentemente a frequência de recolha seletiva dos resíduos orgânicos, os custos de recolha e tratamento e emissão de gases de efeito estufa gerados pelo seu transporte. Um estudo da APA refere também que a recolha porta-a-porta só será possível em 49% do território português, o que significa que este este compostor seria também uma alternativa interessante para os cidadãos que se situam em localidades onde a recolha dos resíduos não é viável.

Desta forma, considerando esta solução vantajosa também para as câmaras municipais e empresas de gestão de resíduos, vemos uma oportunidade na colaboração com estas entidades, não só através de projetos conjuntos de sensibilização e capacitação, mas também na criação de parcerias para distribuição de “Compostugas” aos munícipes.
Os principais objetivos para o ano de 2022 são continuar a apostar fortemente na educação para a compostagem, fortalecer e aumentar o n.º de parcerias, obter financiamento e preparar o lançamento do nosso Compostuga!

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Artigos mais populares

Estes são os artigos que mais pessoas estão a ler. Será que te interessam?

Os 10 mitos da compostagem

Os 10 mitos da compostagem

A compostagem já existe há tanto tempo que é normal que durante estes anos todos se tenham criado mitos sobre ela. Estranho seria se não existissem! Mas infelizmente...

read more
Como fazer a compostagem de jardim? (termofílica)

Como fazer a compostagem de jardim? (termofílica)

Como fazer compostagem no teu jardim, quais as vantagens, como escolher o local para o compostor, que resíduos podes e não podes colocar, por onde começar e que fatores influenciam a compostagem, são apenas alguns dos tópicos que vamos abordar neste artigo!

read more